domingo, 10 de julho de 2011

1ª Quimio – ciclo A

Dia 6 de junho de 2011, segunda-feira

Premonição
Acordei bem cedo pra dar aquela caminhada matinal de despedida junto com a Cíntia. Alguma coisa me dizia que talvez eu não fosse internado naquele dia eee, hehehehe chazam!!!!  Não é que eu estava certo! O médico ligou e falou “ou você vem na parte da noite ou amanhã bem cedo.”  Perfect! Mais uma noite no meu colchão amassado no mei.

Dia 7 de junho de 2011, terça-feira

Primeiras Instruções
Cheguei no hospital umas 10h da manhã, mas só consegui finalizar a documentação necessária 1:30h da tarde, pra mais. Convênio é um problema!!  Essa internação é só um começo dos problemas que o convênio começou a dar, é uma falta de informação, cada hora um atendente te pede um relatório mais estranho que o outro, parece que colocaram um cabra sem informação nenhuma e falaram pra ele dificultar ao máximo que estava tudo certo. Sei lá!

Cateter Celsite B|BRAUN
Nesse dia, o Dr. Alessandro conversou com a gente sobre a colocação do cateter e disse que um cirurgião muito bom viria conversar comigo Dr. Renato Sabagui. Ele chegou na parte da tarde e começou a explicar como funcionava, como seria feita a cirurgia. Avisou também que o cateter seria pago pelo convênio, mas o serviço dele era a parte. Meus médicos me aconselharam a fazer a cirurgia com o Renato, ele já tem uma experiência de mais de 100 cateteres colocados de forma satisfatória e isso vai ficar dentro de mim pelo menos mais uns três anos sendo otimista “meu escaravelho de estimação”. E eu não ia mesmo fazer uma intervenção cirúrgica com qualquer açougueiro (desculpa aí quem se ofender...). Preferi seguir a indicação do meu médico, a pessoa em quem eu estou confiando a minha vida. O preço da cirurgia foi R$1.500,00 e o cateter pago pelo convênio custou aproximadamente R$2.000,00. É impressionante como essas coisas médicas são caras. Só a agulha daquela punção maldita de medula que eu fiz custava uns R$2.000,00, cada dia de internação minha no Hospital é aproximadamente R$1.000,00, sem contar as medicações. Apesar das falhas e dores de cabeça que tem dado, agradeço todo dia por ter esse convênio. Não faço ideia como seria sem. 
Beleza, cirurgia marcada para quinta-feira.

Dia 9 de junho de 2011, quinta-feira

Sala de cirurgia
A quarta-feira não teve muita surpresa, jejum a partir das 22h para a cirurgia, tomar banho com clorexidina 6h da manhã, tudo certo! Entro na sala umas 8h, é mais ou menos 1h todo procedimento, depois fico em outra sala até passar os efeitos do sedativo. Lembro que nessa hora bateu uma fome e uma vontade de comer lasanha, até comentei com os enfermeiros e médicos que estavam me acompanhando: “Poxa, podia servir lasanha hoje... acho que eu vou pedir pra alguém trazer lasanha pra mim”. Kkk a gente só fala merda com esses sedativos... Doeu um pouco depois da cirurgia, tive que pedir uns remédios pra aliviar. Enfim, também agora eu tenho um equipo de última geração para as minhas drogas heheheh! Meu escaravééelhoo!

Ganhei até uma carteirinha pra passar em porta de banco e detector de metal.

Dia 11 de junho de 2011, sábado


Go go go!
Comecei a 1º quimioterapia pelo acesso periférico, ou seja, pela veia do braço, pois o cateter ainda estava um pouco dolorido. Não é nada agradável receber alguns medicamentos na veia , teve uma hora que achei que minha mão ia cair...  cai não!

Dia 12 de junho de 2011, domingo

Na madrugada do domingo foi a primeira punção do cateter. E adivinhaaaa... ***Treinamento de Enfermagem*** e o cobaia é Euzinho mesmo! Resultado... Deu merda! O enfermeiro que estava sendo instruído utilizou uma agulha maior que o tamanho do meu cateter e depois colocou uns esparadrapos pra segurar, tipo: ficou muito estranho o que ele fez, mas era a primeira vez que alguém puncionava o meu cateter.  Era dia dos namorados, a Cíntia comprou um frango xadrez com arroz colorido, uma delícia, estávamos cheio de amor pra dar hehehe, mas o meu peito não parava de crescer –literalmente-. No primeiro momento achei que era reação da medicação e fiquei de boa, mas foi dando um mal estar da porra e uma agonia de ver meu peito crescendo daquele jeito. Chamamos os enfermeiros pra eles darem uma olhada, na hora em que um deles viu o tamanho do meu peito, parou a medicação e já falou “liga pro seu médico agora”. Liguei direto para o cirurgião que colocou o meu cateter, ele instruiu o pessoal de puncionar novamente e verificar com os médicos se a quimio era irritante. Existe uma classificação de medicamentos que não podem entrar em contato com a pele, que pode ser irritante ou vesicante, que significa: substância que pode causar necrose e lesão tecidual . Nessa hora fiquei azul, branco, vermelho, putz.... pensei, fudeu! Mal comecei a parada e já vou ganhar uma necrose no peito.Ligamos pro Gustavo, meu médico, mas estava ocupado, daí ligamos pra Dra. Elaine, que é também da equipe que está cuidando do meu caso. Ela falou que ia ligar pro Gustavo, mas que eu ficasse tranquilo, que se não estava doendo, não ia dar problema. O Gustavo me ligou em seguida e disse que, graças a Jah, a medicação não era nem irritante, nem vesicante. e com algumas compresinhas de água quente, o peitim diminuiu, voltou ao normal... ufa...  Agora é só história!

Dia 13 de junho de 2011, segunda-feira

Intratecal
O Alessandro entrou no quarto pela manhã e começou a explicar que a Leucemia produz células deficientes e essas células podem se alojar no Sistema Nervoso Central, causando alguns problemas como inflamações e até paralisias. Hum, lá vem...  e ai... Pra isso a gente faz uma aplicação de quimioterapia  direto na coluna, utiliza uma agulha de um palmo de comprimento e espeta na sua costas. Véi, de novo eu tremi de medo. A técnica utilizada é a mesma da anestesia de mulher grávida, a raquidiana, que é aplicada entre as vértebras nas costas.

Blz vamos lá! Novamente aquela posição de feto desagradável, agulha número 22 de criança, e ele diz “William fica calmo que agora é tentativa e erro” heheheheh agora eu to tranquilo. De repente tu sente aquela agulha entrando nas tuas costas e vai fincando, putz, a parada começa a doer e espetar e bate no osso... eu começo a suar frio e quando eu acho que acabou ele pede a agulha numero 25 de adulto porque a outra bateu no osso e entortou. Nãããããããaõooooooooo que merda tudo de novo. Isso mesmo, tudo de novo só que agora com uma agulha mais grossa pra ficar melhor de baum. Quando ele conseguiu até chamou a Cintia e o meu pai, que estavam por perto, pra ver o líquido transparente que sai coluna. “Que perfeição é o corpo humano” o Alessandro falava com a agulha enterrada na minha coluna e eu rezando pra acabar logo! 



Fim do procedimento, ficar completamente deitado nas próximas seis horas.

O primeiro ciclo quimioterápico termina. Eu tive que voltar no hospital uns dias depois pra fazer outra intratecal, mas dessa vez eu conheci um forte aliado, DORMONID tarja preta hahahahaah um calmante muito doido que alivia a tensão, mas não tira a dor. O bom mesmo é que você não lembra nada depois. O problema dessa intratecal são as dores de cabeça que dá depois, nos primeiros dias era 40 gotas de novalgina a cada 6 horas, quarto escuro, pouca movimentação, mas com o tempo vai diminuindo, acho que essas dores duraram mais ou menos uma semana, depois já não sentia nada. Minha boca que estourou umas feridas, mas já era esperado. Sopinha, pão molhado no café com leite e coisas do gênero pra aliviar o incomodo na hora de comer.  

Round one - You Win

2 comentários:

  1. Eu adoro a foto do escaravelhoooo! hehehe
    Você é um gato!

    ResponderExcluir
  2. ola, como vc está hoje em dia, espero que bem, abraços

    ResponderExcluir